quinta-feira, 12 de março de 2009



Ontem estava prester a hibernar quando começou mais um episódio de Sex and The City. Obviamente que fui assistir.


Terminei a noite chorando quando me lembrei da cena em que Carrie está sozinha em seu aniversário e se dá conta de que não tem ninguém especial aos 35 anos de idade. No fim da noite, aos 45 minutos do segundo tempo, aparece a esperança em pessoa cheia de balões para enfeitar um dia em que a realidade pesa, de tão cruel.


Ele, como sempre, chegou atrasado.


Os balões amenizaram, mas a sensação de solidão permaneceu por lá...


Quem sabe ama gêmea não exista mesmo, ou, se existe, tenham a forma de grandes amigas que nos acompanham dia-a-dia.


Plagiando o episódio, faço sátiras desta sensação. Pelo menos me dá a impressão de que posso ter perdido tudo - , ou, na pior das hipóteses nem cheguei a perder nada, já que nunca as tive de fato - mas, mesmo com o coração apertado, continuo não perdendo a piada....


Um comentário:

Cá Aqui disse...

Preciso de uma pessoa tão apaixonada, que me leve balões coloridos nos meus dias mais insanos (ou naqueles dias normais também. Não vou achar ruim).